Início »

Sodoma e Gomorra

Dizem-nos as histórias bíblicas
Qu’a fé não se questiona
E quem por ímpio se toma
Segundo reza essas prédicas
É fustigado em castigos
Em cataclismos sonantes!
Sobre cidades, continentes
Em inocentes e inimigos!

E reza uma dessas crónicas
Qu’existiam no vale do Sidim
Várias cidades num Jardim
De cujas valias arquitectónicas
Os homens faziam furor!
E nessa arrogância, o amor
Eram palavras, mnemónicas…

E esquecendo-se do legado
De Deus na voz de Abraão
Blafesmavam a sua razão
Num sadismo requintado!
Usand’a cama de Sodoma
No corte e no repuxar!
Nesse seu gozo, o gritar
O seu verdadeiro idioma!

E como que determinado
A expurgar a maldade!
Abraão anuncia à cidade
O momento sentenciado!
E nisso explica a Ló
A fuga na fé, adiante!
Que se parar um instante
Ficará reduzido a pó…

E quand’o fogo, o enxofre
S’assoma àquele mar morto
Não resta cidade ou horto
No rescaldo da sua sorte!
E Ló permanece adiante
Andando c’as suas filhas
Ficand’a mulher a milhas
Porque queria olhar um instante!

E quando uma estátua de sal
Reflecte a prova tamanha!
Da fé sem razão, por façanha
Na contraposição do mal
Olhamos de volta o mundo
Aos olhos do homem moderno
Qu’em algumas cidades, o inferno
Existe em fogo e em fundo!

E nessa premissa, Gomorra
Descrita por Saviano!
Jornalista de rosto humano
Perseguido pela Camorra!
Entendemos que só a crença
Nos pode levar a sonhar
C’outro mundo, lugar
Ond’a Justiça é a sentença!

E como que num paralelismo
À roda das histórias da Bíblia
Abordo c’a Romanofilia
Nápoles, na sombra do istmo!
Que fez de Pompeia, exemplo
P’la força desse Vesúvio!
Outra Sodoma ao seu tempo?

E quand’a Gomorra sucedeu
Tomand’a bacia de Nápoles
Em tantos Reinos e saques
Por Capri, o sol ardeu!
E quando ao paraíso
Sucumb’a perversidade
Por esse inferno, a cidade
S’encontra no seu abismo!

Mas antes que possa “arder”
Compete-nos ditar a sorte
Escapando da própria morte
E por essa fé, vencer!
Avançando, celestial
Resistind’a olhar pr’a trás!
Ond’o passado lá jaz…
Numa estátua de sal!…

A Destruição de Sodoma e Gomorra, John Martin, 1832
A Destruição de Sodoma e Gomorra, John Martin, 1832
Anúncios

1 Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: